Os Exilados

É de um canto do universo onde o chão é de silêncio que nascem as almas barulhentas. Elas são feitas dos restos de pó de estrelas que já morreram mas que não querem sumir, misturadas à matéria de borboleta, sensíveis ao toque das palavras. São aquelas que carregam o...

A Pele do Mundo

Às vezes, caminho descalça entre os verbos e os substantivos me perguntando se vivo o que acredito ou se acredito no que vivo. A pele do mundo não possui começo nem fim, os loucos entendem isso, assim como sabem que vontades, imaginações, sonhos e poemas nunca se...

Amor Fenixiano – Coração Almado

Aceito a valentia desse passo, o bicho desta coragem. Não me saia da cabeça, não se vá da minha cachola: deixemos estar como está. Não se deve mexer no que nos arrepia de novo, no que volta a nos alimentar de vida… com o risco de passarmos famintos pela vida,...

Tropeço

A vida cambaleia e se desnorteia. Cheia de precipícios, vira e revira, toda hora tromba e tomba. Ela voa livre, sem rédeas, desatada, despenca, cai emudecida. A queda é só um pouso. O tempo no escuro da vida se embola, até emergir renovo. E aí, recomeça tudo de...

Grito Mulher

Eu sou a borboleta que habita à beira do precipício emocional,Em cada olhar perdido no espelho, uma fé incondicional.Eu sou um eco das profundezas do universo,Sou poesia em movimento, um ser em lágrimas submerso.Eu sou a criação modelada pelos enigmas do meu...

Tanto Quanto

Quantas lembranças cabem nos lugares pela cidade?Quantas saudades alheias enxameiam os lugares? O quanto de nós reverbera nos recantos, serpenteia nas esquinas?De quantas Marias precisa-se para salvar as culpas enfiadas em uma Eva? Quais as mais densas aflições que os...